Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

.: 134. Perfume: The Story of a Murderer, Patrick Süskind :.

276 páginas

Sinopse:

Survivor, genius, perfumer, killer: this is Jean-Baptiste Grenouille. He is abandoned on the filthy streets of Paris as a child, but grows up to discover he has an extraordinary gift: a sense of smell more powerful than any other human's. Soon, he is creating the most sublime fragrances in all the city. Yet there is one odor he cannot capture. It is exquisite, magical: the scent of a young virgin. And to get it he must kill. And kill. And kill.

 

Opinião:

Um livro verdadeiramente único, que é construído de uma forma arriscada: toda a história se desenrola em volta de cheiros, perfumes... algo que é difícil de passar para o papel de forma verossímil. É realmente uma obra onde somos guiados por um forte sentido de olfacto, onde vemos o mundo de forma diferente. As descrições são deliciosas e muito bem construídas,  feitas com tanta vivacidade que quase conseguimos sentir-nos envolvidos nos diferentes cheiros. O autor guia-nos detalhadamente pelos processos de criação de um perfume - pelo menos, os que se utilizavam há algumas décadas atrás - e adorei que esse tipo de informação fosse incluído: torna o livro numa fonte de aprendizagem.

No início, o enredo não se centra muito na vertente de thriller que é utilizada para descrever a obra; esta é, no entanto, a história de um assassino, que embora não faça jus a essse nome durante grande parte do livro, acaba por ganhar terreno e compensar essa "falha" já nos capítulos finais. A forma como a história termina foi, a meu ver, muito bem elaborada - um óptimo final para um livro que não devem perder.

Sílvia às 10:34
link | comentar | (1)
Sábado, 27 de Fevereiro de 2010

.: 128. Vertical Run, Joseph R. Garber :.

302 páginas

Sinopse:

You think YOU had a killer workday. . .
Get ready for the FASTEST thriller of the summer!

Each morning in his 45th floor executive office, David Elliot savors the quiet moments until the workday begins. Until today, when his boss walks in and aims a gun at him. For the rest of the day, he will be trapped in his midtown office building, and everyone David Elliot meets will try to kill him.

 

He has 24 hours to find out why. . .

 

In Vertical Run, you can escape into a world on fast forward, a drama that plays out with electrifying intensity. No one who reads this book will ever see the office the same way again.

 

Opinião:

Há muito tempo que não lia um thriller tão bom! Vertical Run narra a história de um homem que chega ao escritório para mais um dia de trabalho, apenas para se ver no meio de uma caça ao homem em que o alvo é ele próprio. É um livro muito intenso, que me deixou colada às páginas. Parte de um princípio que parece um pouco improvável, mas, surpreendentemente, o enredo é muito verosímil. Ao longo do livro vamos conhecendo detalhes da vida da personagem principal, Dave, do seu passado como soldado no Vietname, e tanto esse "enredo secundário" como a linha principal da história estão muito bem construídos.

Dave consegue ser também uma personagem com a qual o leitor simpatiza, por lutar com muita garra contra os homens que o querem ver morto, e dei por mim a torcer para que a história de desenrolasse a seu favor. O autor fez questão de incluir muitas descrições do processo dedutivo e de decisão que se desenrolaram na mente de Dave à medida que este tentava evitar - e neutralizar - os seus inimigos, o que é também muito interessante.

O motivo para esta perseguição a um homem aparentemente comum é revelado muito perto do final do livro, e deixou-me bastante satisfeita - por ser, mais uma vez, verosímil e muito bem pensado.

Espero ler mais livros deste autor no futuro!

Sílvia às 13:38
link | comentar
Sábado, 20 de Fevereiro de 2010

.: 126. A Certain Justice, P.D. James :.

482 páginas

 

Sinopse:

Venetia Aldridge QC is a distinguished barrister. When she agrees to defend Garry Ashe, accused of the brutal murder of his aunt, it is one more opportunity to triumph in her career as a criminal lawyer. But Regina v Ashe initiates events both frightening and unpredictable ...Just four weeks later, Miss Aldridge is found dead. Commander Adam Dalgliesh, called in to investigate, finds motives for murder among the clients Venetia has defended, her professional colleagues, her family - even her lover. As Dalgliesh narrows the field of suspects, a second brutal murder draws them into greater complexities of intrigue and evil.


Opinião:

Este é um thriller muito diferente daqueles que costumo ler. Desenrola-se no Reino Unido, o que constitui sempre uma lufada de ar fresco; foca-se sobretudo no sistema judicial e nas suas limitações, o que é algo de novo para mim. Penso que a autora fez um óptimo trabalho ao tentar trasmitir todas as limitações da Lei, dando ao leitor a oportunidade de conhecer um pouco melhor o ponto de vista dos advogados de defesa, dos dilemas que enfrentam quando defendem grandes criminosos, e nas repercussões que o seu sucesso pode ter. Tudo isto enquanto constrói um enredo muito bom, que me manteve agarrada à leitura.

Sílvia às 19:56
link | comentar
Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

.: 119. The Fifth Child, Doris Lessing :.

144 páginas

 

Sinopse:

Harriet e David Lovatt têm os mesmos anseios - fidelidade, amor, vida familiar e, acima de tudo, um lar. Teimosamente fora das modas dos anos 60, decidem casar e assentar as bases das suas vidas numa casa vitoriana. A princípio, parece o Paraíso. As crianças preenchem-lhes o quotidiano, e os familiares sentam-se à mesa da cozinha no Natal, desfrutando avidamente do calor humano da família Lovatt. Mas é com a quinta gravidez que as coisas começam a alterar-se. O bebé desenvolve-se dentro de Harriet demasiado cedo e com demasiada violência. Após um nascimento difícil, Ben revela-se uma criança estranha e cruel, cuja violência é instintivamente rejeitada pelos irmãos.
Inexoravelmente, a sua presença alienígena vai destruindo o sonho de uma família feliz.

 

Opinião:

Tenho sempre a ideia de que os autores laureados com o Nobel devem escrever obras extremamente aborrecidas e sem interesse algum. Já devia ter perdido esse preconceito  - José Saramago veio provar que não é nada assim - mas tinha-o na cabeça quando peguei neste livro de Doris Lessing.

A sinopse, no entanto, prometia uma história muito emocionante... e não fiquei desiludida.

Fantástico, este livro. Pega no conceito de "assustador" e leva-o até um nível completamente novo, criando um sentimento de medo e terror a partir de um pressuposto extremamente simples: uma criança diferente.

Esse é um sentimento que vai crescendo ao longo do enredo, de tal forma que não há maneira de não ficarmos completamente envolvidos pela história. Um verdadeiro "vira-páginas", este pequeno volume. Estou extremamente curiosa em relação à sequela, Ben, In The World.

Sílvia às 17:25
link | comentar
Quinta-feira, 5 de Novembro de 2009

.: 112. O Símbolo Perdido, Dan Brown :.

572 páginas

 

Sinopse:

 

Washington, D. C.: Robert Langdon, simbologista de Harvard, é convidado à última hora para dar uma palestra no Capitólio. Contudo, pouco depois da sua chegada, é descoberto no centro Rotunda um estranho objecto com cinco símbolos bizarros.
Robert Langdon reconhece-os: trata-se de um convite ancestral para um mundo perdido de saberes esotéricos e ocultos.

Quando Peter Solomon, eminente maçom e filantropo, é brutalmente raptado, Langdon compreende que só poderá salvar o seu mentor se aceitar o misterioso apelo.

Langdon vê-se rapidamente arrastado para aquilo que se encontra por detrás das fachadas da cidade mais poderosa da América: câmaras ocultas, templos e túneis. Tudo o que lhe era familiar se transforma num mundo sombrio e clandestino, habilmente escondido, onde segredos e revelações da Maçonaria o conduzem a uma única verdade, impossível e inconcebível.

Trama de história veladas, símbolos secretos e códigos enigmáticos, tecida com brilhantismo, O Símbolo Perdido é um thriller surpreendente e arrebatador que nos surpreende a cada página.
O segredo mais extraordinário e chocante é aquele que se esconde diante dos nossos olhos…

 

Opinião:

 

Como sempre acontece com os livros de Dan Brown, este foi um daqueles que se leu num fôlego, com o ritmo do enredo a prender-me completamente em cada página.

Muito se fala de Dan Brown: uns amam, outros odeiam... para mim, é um autor capaz de "produzir" boa literatura, que serve o propósito do entretenimento ao mesmo tempo que espicaça a curiosidade dos leitores acerca de vários temas históricos e científicos.

 

Este é um livro que não foge ao estilo de Dan Brown, que aposta num ritmo alucinante para contar a sua história, quase como se estivéssemos imersos num filme de acção.  É uma das características da sua escrita que mais me agrada, já que as páginas correm a uma velocidade impressionante pelos meus dedos de cada vez que pego numa destas obras. São fáceis de ler, sem serem pobres em termos de enredo.

 

Há, no entanto, um detalhe, que me parece também já fazer parte do estilo do autor, que pode vir a retirar valor aos seus livros, se continuar a verificar-se. Já é possível distinguir um padrão na forma como Dan Brown constrói os seus enredos, especialmente nos três livros que constituem a "série Robert Langdon": contam sempre com a presença de uma personagem violenta, talvez um pouco louca - o mau da fita, vá -  que tem ideais bem demarcados que a levam a cometer os actos atrozes que dão o mote a grande parte da história. E Langdon nunca está mal acompanhado: tem sempre ao seu lado uma mulher bonita e inteligente para o ajudar a desvendar o mistério. Penso que esta tendência poderá vir a tornar os livros de Dan Brown, sempre tão interessantes, em obras um pouco repetitivas e até previsíveis. Afinal, quando existe um padrão, é sempre possível descobrir, aqui e ali, o que virá a seguir. Esperemos que o escritor não caia no erro de repetir esta estrutura de enredo nos próximos livros.

Sílvia às 18:01
link | comentar