Sexta-feira, 26 de Março de 2010

.: 131. China Sydrome, Karl T. Greenfeld :.

 

464 páginas
Sinopse:

When the SARS virus broke out in China in January 2003, Karl Taro Greenfeld was the editor of Time Asia in Hong Kong, just a few miles from the epicenter of the outbreak. After vague, initial reports of terrified Chinese boiling vinegar to "purify" the air, Greenfeld and his staff soon found themselves immersed in the story of a lifetime.

Deftly tracking a mysterious viral killer from the bedside of one of the first victims to China’s overwhelmed hospital wards—from cutting-edge labs where researchers struggle to identify the virus to the war rooms at the World Health Organization headquarters in Geneva—China Syndrome takes readers on a gripping ride that blows through the Chinese government’s effort to cover up the disease . . . and sounds a clarion call warning of a catastrophe to come: a great viral storm potentially more deadly than any respiratory disease since the influenza of 1918.

 

Opinião:
Não é o tipo de livro que normalmente me atrai; China Syndrome tem cariz de livro científico, e à primeira vista parece não ser mais que um grande relatório sobre a evolução de uma nova doença mortífera (SARS). No entanto, mostrou-se uma obra bastante interessante, e que me agradou por se focar em temas que me atraem. O autor consegui tratar os vários planos da história desta doença, desde o seu surgimento nos locais mais negros da China, até à corrida contra o tempo vivida pelos vários especialistas que tentavam descobrir o que a causava, passando pela recusa do governo chinês em admitir que um novo mal estava a matar centenas de pessoas. Existe neste livro um óptimo equilíbrio entre a descrição dos factos e a inclusão de pormenores que despertam a atenção do leitor. Não é uma leitura fácil, mas o esforço é largamente compensado.
Sílvia às 16:07
link | comentar