Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

.: 14. Blue Moon, Dominique Sigaud :.

105 páginas

 

Blue Moon, que é um dos mais belos e estranhos livros da nova literatura francesa, é também um terrível libelo contra a pena de morte.
Aaron Robbins, um jovem negro, habitante de um dos Estados do Sul dos EUA, violou e assassinou uma mulher. Uma mulher branca e loura. Detido durante cerca de vinte anos, sabe agora que vai morrer. O perdão, a sua última hipótese de sobrevivência, acaba de lhe ser negado.
Inicia-se então uma sucessão de flashes que pouco a pouco permitem reconstruir a vida do criminoso e os seus motivos do seu acto, e conduzem o leitor desde os meandros da sua torturada relação com o pai até à evocação do desejo que o adolescente sentia perante as mulheres do Blue Moon e, finalmente, às derradeiras palavras que o condenado diz à mãe do seu filho, a única mulher que verdadeiramente o amou...

 

Sílvia às 15:33
link | comentar